Dois formadores: Föppl e Salmon


Os textos apresentados abaixo dão-nos exemplos de como a claridade na exposição de ideias pode ser de monumental importância na ciência, mesmo quando não se trata de contribuições originais. August Föppl e George Salmon foram famosos professores em suas épocas mas não são nomes que hoje estejam associados com trabalhos que tenham deixado sua marca na história dos conceitos da física e da matemática. No entanto, seus tratados foram clássicos de seus tempos por serem compêndios que reorganizaram de modo mais claro parte do conhecimento que existia. De certa forma, tornaram-no compreensível para as novas gerações, para os estudantes-leitores – dentre os quais grandes nomes da ciência do século XX. Muitos matemáticos e físicos foram educados através de tratados de Föppl e Salmon e neles encontraram material instigante e elegante a partir do qual puderam dar os passos que estes autores talvez não tenham ousado dar. De certo modo, tem-se aqui o caso da incorporação pelo cânone científico não de resultados, mas de formas de apresentação. E neste sentido, estes autores foram de fato o que se espera de mestres: formadores.


Résistance des matériaux et éléments de la théorie mathématique de l’élasticité, por August Föppl

August Föppl foi um importante professor de ciências mecânicas na segunda parte do século XIX, na Alemanha, tendo lecionado, sobretudo na Universidade Técnica de Munique. Suas aulas sobre mecânica aplicada eram famosas e atraíam muitos estudantes - houve casos de classes com quinhentos ouvintes. Arnold Sommerfeld atribui a ele a introdução do cálculo vetorial no ensino da mecânica e do eletromagnetismo na Alemanha. Föppl também escreveu um importante livro expondo Eletrodinâmica de Maxwell de forma muito clara e com comentários que viriam a influenciar Albert Einstein na formulação da Relatividade Restrita.

O livro sobre Resistência dos Materiais aqui apresentado (na sua tradução francesa) foi um livro clássico no ensino desta disciplina na Alemanha no final do século XIX. Editado em 1898 foi um sucesso imediato. A abordagem adotada apresenta a novidade de não começar a exposição pela teoria matemática da elasticidade, optando por explanações mais simples, o que levou a que o livro fosse amplamente adotado por escolas de engenharia em países de língua alemã.


Traité de géométrie analytique à trois dimensions, por George Salmon

George Salmon (1819-1906) foi um matemático (e igualmente teólogo) irlandês, professor do Trinity College de Dublin. Apesar de Salmon não ter feito contribuições de porte para a matemática, a sua influência foi enorme, sobretudo através de quatro tratados publicados em Dublin entre 1848 e 1862. Estes quatro livros deram impulso a uma modernização dos textos de geometria e álgebra na época e são muito elogiados pela sua claridade por matemáticos posteriores. Felix Klein chega a afirmar que "nestes jardins floridos todos nós crescemos, e aqui recolhemos os conhecimentos sobre os quais viemos a construir...".

O Tratado de Geometria Analítica é o quarto dos livros citados acima, apresentado numa tradução francesa. Seu assunto pode ser visto como estando nos primórdios da geometria algébrica, a qual só viria a ser formulada em termos rigorosos no século XX. Se bem que a pesquisa em matemática contemporânea não mais faça uso dos livros-texto do século XIX, não deixa de ser curioso notar que este tratado é citado em artigos científicos mesmo em 2011.